Nós do Instituto Chamex, acreditamos que com criatividade e educação podemos impulsionar mudanças, acelerar soluções e mudar a vida de muita gente, para melhor.

Confira nossas histórias contadas em parceria com Dona Jacira

Escritora periférica, artista plástica e formada em desenvolvimento humano, dona Jacira se destaca no contexto social atual, e dá voz à histórias de mulheres que tiveram suas vidas transformadas pela educação e pelos projetos do Instituto Chamex.

Dona Jacira é uma contadora de histórias e uma pessoa que inspira os jovens à transformarem suas realidades. Mãe de quatro filhos, entre eles os cantores Emicida e Fióti, narra suas próprias memórias e experiências por meio de podcasts, entrevistas e textos, abordando os temas sociais, educação e meio ambiente. Optou por continuar vivendo na periferia para melhorar o seu entorno, ajudar outras pessoas e mostrar para os jovens que existem outras possibilidades de vida.

E em parceria com o Instituto Chamex, dona Jacira conta as histórias de Ana Laura e Ana Lívia, duas mulheres que tiveram suas vidas transformadas pelos projetos do Instituto Chamex e pela proposta de transformar o mundo pela educação.

Ana Laura, 21 anos, ex-aluna do Aprendiz Escola Sylvamo

Na época (2019) estava sendo divulgado nas escolas a inscrição do Aprendiz Escola Sylvamo.  Fiquei muito animada, mas eram mais de 400 pessoas disputando 24 vagas. Nesse mesmo período eu me inscrevi no curso técnico de eletroeletrônica do Senai, pois não estava tão confiante que iria passar, porém consegui passar nos dois! E assim foi crescendo minha paixão pela elétrica. Quando eu entrei no Aprendiz Escola Sylvamo estava no cargo de aprendiz de produção, um pouco distante da elétrica, mas com o decorrer do curso viram a minha vontade e interesse de ser uma manutencista e me perguntaram se eu tinha interesse em trocar de área e passar um tempo sendo aprendiz eletricista, eu aceitei na hora.

Com o passar dos dias fui me descobrindo cada vez mais nessa área e me apaixonando, e foi exatamente uma semana antes de acabar o contrato do Aprendiz Escola Sylvamo que a responsável pelas contratações na área da manutenção me chamou. Eu achei que iria ser apenas uma conversa de final de ciclo de aprendizagem, mas quando cheguei meu supervisor estava lá e me contou sobre a vaga. Fiquei muito feliz com a contratação!

Tenho um sentimento de realização profissional enorme, fiquei mais confiante em ver que sou capaz de chegar onde quero independente do gênero, e feliz por ter uma equipe que está sempre me motivando, sem preconceito algum. Sonho em ser uma engenheira de controle e automação, e crescer cada vez mais nessa área. E hoje sei que chegarei lá.”

Ana Lívia, 19 anos, vencedora do Concurso de Redação de 2020 e terceira colocada em 2021.

“Fiquei sabendo do Concurso de Redação pela minha professora de português, a Rafaela. Quando estávamos em aulas remotas, por conta da pandemia, ela enviou em um grupo da escola as informações sobre o concurso.

Achei interessante e decidi participar, mas não imaginava que pudesse ir tão bem. Fiquei impressionada com o resultado! Graças ao concurso, consegui aprimorar minha escrita e, como fui premiada com livros, pude estreitar meus laços com a leitura e hoje ela é indispensável para mim.

Na infância e na maior parte da adolescência tive pouco incentivo para ler. Comecei a me interessar pela leitura quando decidi ler alguns dos poucos livros que, por acaso, havia em casa. Depois, quando foi colocada internet em minha casa, passei a baixar livros em PDF para ler no celular e, mais tarde, o concurso me permitiu ter vários livros físicos com a premiação que recebi e ter esse contato que nunca tinha tido antes.

Parando para pensar, acho que meu sonho é poder me orgulhar de quem sou, nunca deixar de buscar conhecimento e me dedicar às coisas que gosto de fazer. Ainda não decidi que rumo tomar profissionalmente, mas gostaria de trabalhar em algo que me fizesse feliz.”.

Bárbara Oliveira, 47 anos, professora cursista do Arte na BNCC, ano de 2020.

Participante da 1ª Edição do Curso Online Arte na BNCC, a professora Bárbara Oliveira ressalta a importância do curso em suas aulas e no desenvolvimento de sua prática pedagógica. A professora, que desde 2006 leciona Arte nas escolas do ensino público da região de Caxias do Sul – RS, destaca a importância de se atualizar e aprender com tantos profissionais que são referências para a educação.

A questão da materialidade na arte fez com a professora pudesse construir seu planejamento ampliando a capacidade de desenvolvimento do pensamento crítico e poético e explorando as habilidades dos alunos, fortalecendo a sala de aula como lugar de exploração.

O curso foi muito importante para o crescimento profissional da Bárbara, a capacidade dela de atingir seus alunos e poder debater sobre um tema que está muito em voga, que é a nova BNCC.